Como a análise de qualidade do ar climatizado pode ajudar sua empresa

O conceito de condicionamento de ar já existia no Império Romano, quando a água de aquedutos circulava nas paredes das casas para arrefecer o calor. Mas a primeira unidade de ar condicionado somente veio a ser inventada no ano de 1902, nos Estados Unidos, com o propósito eliminar a umidade que prejudicava o processo produtivo de uma indústria gráfica.

Análise de qualidade do ar

Mesmo a motivação original para o surgimento de o primeiro ar condicionado estando relacionada à manutenção das características essenciais dos papéis durante o verão americano, não demorou muito para que essa tecnologia fosse aplicada com a finalidade de aumentar a produtividade nos postos de trabalho em uma perspectiva de melhoria de qualidade de vida dos funcionários.

Continue lendo e saiba mais sobre como a análise do ar climatizado pode fazer toda a diferença na sua empresa.

Qualidade de Vida no Trabalho

A qualidade de vida no trabalho, reconhecida pela sigla QVT, resulta da união de uma série de fatores. Muitos deles são relativos à saúde do trabalhador dentro das organizações, que é tratada, inclusive, como política pública. Um exemplo disso é o fato de que a climatização de ambientes de uso coletivo é regulamentada pela ANVISA.

Nesse sentido, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária, desde 2003, prevê que todos os espaços climatizados devem manter planos de manutenção e controle dos sistemas de condicionamento de ar e determina a contagem de micro-organismos nesses ambientes.

É importante reconhecer que algumas doenças são provocadas por fungos, bactérias, vírus e até mesmo químicas presentes em sistemas de condicionamento de ar, e que somente a manutenção preventiva pode minimizar ou evitar os efeitos indesejados.

Produtividade e análise de qualidade do ar climatizado

As coletas e exames laboratoriais que analisam as possíveis contaminações acarretam vários benefícios para as empresas. Ao evitar a má qualidade do ar, essas organizações combatem a letargia e a fadiga, além de diminuir a ocorrência de falhas e erros de seus colaboradores.

Não menos importante é a questão do absenteísmo, pois quando os colaboradores faltam ao trabalho por motivos de saúde, suas ausências imputam custos às empresas.

Seja por causa de funcionários doentes em casa ou mesmo mais lentos nas empresas, a consequência de não analisar a qualidade do ar é o retardamento na execução de atividades.

Retenção de Talentos

Uma empresa que zela por seu capital humano, que implementa políticas de qualidade de vida como um imperativo estratégico, ao adotar práticas que propiciem o bem-estar da equipe, vai diminuir seu índice turnover.

Além de reter talentos e de manter a produtividade dos profissionais, uma pesquisa da ABQV (Associação Brasileira da Qualidade de Vida) com 500 gestores em 2011 mostrou que, para as empresas, os programas de bem-estar reduzem os custos com assistência médica.

E mais: ao mesmo tempo em que a análise de qualidade do ar climatizado contribui para as empresas perceberam mais motivação e estado de alerta em seus empregados, também contribui para que os empregados percebam os atos de valorização humana de seus empregadores. Isso tudo reflete na imagem corporativa e o mercado reconhece esses sinais positivos, devolvendo valor às organizações.

Ainda tem dúvidas sobre os benefícios da análise de qualidade do ar climatizado no seu negócio? Fale conosco nos comentários e tire suas dúvidas!

Postagens Similares:

Limpeza do Ar Condicionado: 5 Motivos Para Realizá-la

Qualidade do ar climatizado e 6 benefícios ao mantê-la

Análise do ar climatizado – Entenda as leis atuais

A importância da renovação de ar em ambientes climatizados

Ambiente Climatizado | Bem estar e conforto ao seu alcance

Compartilhe esta notícia!

Deixe seu comentário

Your email address will not be published.