Análise Microbiológica do Ar em Ambientes Climatizados

O Ar é composto por gases nobres como oxigênio e o nitrogênio, incluindo também o vapor de água que é responsável por oferecer um Ar mais leve e saudável para se respirar, porém em ambientes climatizados os fatores que interferem na qualidade do Ar interior tendem a ser diferente dos externos. Em ambientes climatizados os microrganismos são os principais vilões contra a qualidade do Ar, exigindo constante atenção quanto ao processo de renovação do ar e realização da manutenção periódica. Para locais de uso público e coletivo é necessário solicitar a Análise Microbiológica do Ar para detectar não só a presença de microrganismos, como também avaliar a qualidade do Ar interior como um todo.

Análise Microbiológica do Ar

Os microrganismos são seres vivos patogênicos de medidas microscópicas, seus tipos mais populares em ambientes climatizados são os vírus, bactérias e fungos, os principais responsáveis por doenças respiratórias tais como a pneumonia, asma, bronquite entre outras.

Microrganismos como vírus e bactérias chegam em ambientes climatizados tanto pelo ar externo como também através do corpo humano, seu principal hospedeiro onde são expelidas através de tosses e espirros. Já os fungos se desenvolvem em locais com altos níveis de umidade e temperatura ambiente e sua presença em locais fechados colocam nossa saúde em risco pois os mesmos produzem alérgenos, substâncias responsáveis por reações alérgicas no nosso organismo.

A Resolução RE 09 ANVISA é rígida quanto a presença de fungos em ambientes climatizados, esta lei determina que o Valor Máximo Recomendável de contaminação microbiológica deve estar entre 750 ufc/m3 de fungos, para a relação I/E < 1,5, onde I é a quantidade de fungos no ambiente interior e E é a quantidade de fungos no ambiente exterior. Ocasiões onde os valores excedam o limite de 1,5 a Resolução RE 09 ANVISA implica que deve ser realizado o controle de possíveis pontos de vazamento de água como paredes com infiltração ou demais focos de vazamento.

Os equipamentos de ar condicionado também são locais propícios para o desenvolvimento de fungos devido suas condições de umidade e temperatura e deve-se realizar de forma periódica a limpeza do equipamento de forma a evitar o desenvolvimento e propagação destes microrganismos.

Ainda dentro da Resolução RE 09 recomenda-se a substituição de vasos de plantas de cultivo em terra pelos de cultivo em água (hidroponia) além de utilizar filtros de ar G-1 pois o mesmo torna mais eficiente o processo de renovação do ar não retendo fungos e outros microrganismos no ar de um ambiente climatizado.

A ABNT indica que filtros de classe F3 são razoavelmente eficientes no combate de alguns microrganismos e outros agentes poluentes do ar interior como fumaças de óleo e tabaco, bactérias e fungos microscópicos. Locais com altos riscos de contaminação como hospitais, salas de cirurgia, cabinas estéreis e ambientes correlatos, recomenda-se a utilização de filtros de classe A3 que possuem a capacidade de reter poeira atmosférica, fumaças de óleo e tabaco e os principais microrganismos como bactérias, fungos microscópicos e vírus.

A Análise Microbiológica do Ar é a único caminho para evitar multas e adequar-se as leis da ANVISA

A Análise Microbiológica do Ar é um procedimento que deve ser solicitado para ambientes climatizados de uso público e coletivo adequando-se aos padrões de qualidade do ar estipulados pela Resolução 09 ANVISA. Através desta análise é possível diagnosticar qual as reais condições do Ar que os ocupantes de um ambiente climatizado estão respirando e em cima disto trabalhar em melhorias para estar de acordo com a Resolução 09 ANVISA evitando multas e o mais importante zelando pela saúde pública.

O processo de Análise Microbiológica do Ar ocorre através da visita de um de nossos coletores ao local, onde recolhe-se amostras de Ar através de nossa aparelhagem específica. Avaliamos parâmetros de temperatura, velocidade, umidade relativa, contagem de aerodispersóides (poeira total) e microrganismos.

Sistemas de Ar condicionado necessitam de cuidados especiais, a manutenção periódica é indispensável tanto no combate quanto para restringir a proliferação de microrganismos indesejáveis em sistemas de Ar condicionado, os cuidados podem variar de aparelho para aparelho, entretanto a Análise Microbiológica do Ar é obrigatória para locais de uso público e coletivo e deve ser realizada de forma SEMESTRAL para ter conhecimento das condições do ar interior em seu ambiente climatizado e então realizar melhorias adequando-se aos padrões de qualidade do ar implícitos na Resolução 09 ANVISA.

O laboratório LBN Análises está a sua disposição para auxiliá-lo nesta etapa de assegurar saúde e segurança ao ar de seu ambiente climatizado, através de nossos laudos de ensaio torna-se possível detectar a presença de microrganismos entre outros poluentes presentes no ar permitindo a adoção de medidas para elevar os níveis de qualidade do ar adequando sua empresa aos parâmetros de qualidade do Ar estipulados pela Resolução 09 ANVISA.

Postagens Similares:

Análise da Qualidade do Ar em Ambientes Climatizados

Padrões de Qualidade do Ar Climatizado e a RE 09 Anvisa

A importância da renovação de ar em ambientes climatizados

Como evitar doenças causadas por fungos em ambientes climatizados

Análise do ar climatizado – Entenda as leis atuais

Compartilhe esta notícia!

Comentários (2)

  • diego Responder

    a analise da qualidade do ar, deve ser realizada apenas em ambientes com ar condicionados de 60 mil btus ? locais em que haja maquinas de menor capacidade também se faz necessário fazer ?

    04/01/2019 at 4:25 pm
    • Lbn Análises Responder

      Olá Diego. A legislação estabelece que locais em que a soma total da carga térmica dos equipamentos seja maior que 60 mil btus é necessário que um técnico responsável assina o plano de manutenção operação e controle dos aparelhos e que seja feita a análise da qualidade do ar climatizado conforme a legislação. Nosso laboratório recomenda que você avalie a qualidade do ar climatizado mesmo sem realizar o PMOC pois dessa forma você garante a saúde dos ocupantes de sua empresa.

      18/02/2019 at 11:06 am

Deixe seu comentário

Your email address will not be published.